"...nem todos os dias são dias de olhar feliz. Estes dias raramente nos são oferecidos (daí o seu mistério) e quase sempre têm de ser construídos, desenhados, conquistados. Nesta procura do sentir a alma plena dos reflexos doces destes dias de olhar feliz, a vida, a nossa vida, mistura dor e alegria, sofrimento e felicidade, desilusão e sonho, amargura e paixão, choro e riso, ódio e amor. Assim, quando nessa busca constante O vento te rugir e a chuva cair em massa, quando o céu te fugir e sentires o teu amor em desgraça, quando o arco-íris te mentir e a sua recordação ficar laça, lembra-tedo brilho divino que vislumbraste nesta promessa de amor eterno….Lembra-te Que o vento, a chuva, o cinzento do céu, o arco-íris, as tuas lágrimas, as tuas duvidas, todos eles fazem parte do mistério da vida. Lembra-te Como Pessoa, que: “O mistério das cousas? Sei lá o que é o mistério. Único mistério é haver quem pense no mistério.”Aí ergue os teus olhos para o firmamento e procura devagar, em paz, o caminho de regresso ao vosso arco-íris de mãos dadas com o brilho intenso e mágico (quase irreal) da mais nova de todas as estrelas do céu..." LC21/06/97

19/10/2006

O Presente sem Passado nem Futuro

19/10/2006
Vivo sempre no presente. O futuro, não o conheço. O passado, já o não tenho.
Pesa-me um como a possibilidade de tudo, o outro como a realidade de nada.
Não tenho esperanças nem saudades. Conhecendo o que tem sido a minha vida até hoje - tantas vezes e em tanto o contrário do que eu a desejara -, que posso presumir da minha vida de amanhã senão que será o que não presumo, o que não quero, o que me acontece de fora, até através da minha vontade? Nem tenho nada no meu passado que relembre com o desejo inútil de o repetir. Nunca fui senão um vestígio e um simulacro de mim.
O meu passado é tudo quanto não consegui ser. Nem as sensações de momentos idos me são saudosas: o que se sente exige o momento; passado este, há um virar de página e a história continua, mas não o texto.

Fernando Pessoa, in 'Livro do Desassossego'


E as horas que não passam, os dias que se arrastam, e no final o que resta? só mais horas e mais dias que se arrastam.
Não gosto nada de esperar por melhores oportunidades, porque assim que olho para trás, vejo que deixei mais uma vez passar a "oportunidade", afinal era ali atrás estava a tal “boa oportunidade”.
E os dias que se arrastam....e que nunca mais chegam ao fim.

4 diga lá:

Anónimo disse...

E vamos passando ao lado de tanta coisa boa, e que perdemos...
Beijinho

viviana disse...

TENS TODA A RAZAO AMIGA!
UM BOM FIM DE SEMANA!
JOKAS FOFAS

amora disse...

Pois é a noção do tempo é mto relativa: umas vezes parece que voa outras vezes que anda tão devagarinho. Mas na realidade anda sempre igual.
Sei que viverás no "desassossego" até te dizerem aquilo que esperas mas deixo-te um beijinho de mta amizade e votos de um bom fim de semana.

x disse...

É por estas e outras que o Fernando Pessoa é um dos meus candidatos ao Grande Português de sempre!

Ainda não votei porque há mais 2 ou 3, igualmenete grandiosos, que me exigem maior reflexão.

 
Design by Pocket