"...nem todos os dias são dias de olhar feliz. Estes dias raramente nos são oferecidos (daí o seu mistério) e quase sempre têm de ser construídos, desenhados, conquistados. Nesta procura do sentir a alma plena dos reflexos doces destes dias de olhar feliz, a vida, a nossa vida, mistura dor e alegria, sofrimento e felicidade, desilusão e sonho, amargura e paixão, choro e riso, ódio e amor. Assim, quando nessa busca constante O vento te rugir e a chuva cair em massa, quando o céu te fugir e sentires o teu amor em desgraça, quando o arco-íris te mentir e a sua recordação ficar laça, lembra-tedo brilho divino que vislumbraste nesta promessa de amor eterno….Lembra-te Que o vento, a chuva, o cinzento do céu, o arco-íris, as tuas lágrimas, as tuas duvidas, todos eles fazem parte do mistério da vida. Lembra-te Como Pessoa, que: “O mistério das cousas? Sei lá o que é o mistério. Único mistério é haver quem pense no mistério.”Aí ergue os teus olhos para o firmamento e procura devagar, em paz, o caminho de regresso ao vosso arco-íris de mãos dadas com o brilho intenso e mágico (quase irreal) da mais nova de todas as estrelas do céu..." LC21/06/97

23/04/2007

Dia mundial do livro

23/04/2007

Adoro ler, apesar de também gostar de ler revistas e jornais o que eu aprecio mesmo é pegar num livro e de preferência grosso para demorar algum tempo a ler.
Gosto de ler os que são policiais e de ficção, de poesia e de história, o importante é que as letras formem imagens, onde eu possa mergulhar e me sentir acompanhada e incapaz de fechar AQUELE livro.
Lembro de em pequena, sempre que ia para algum lado, levar um livro comigo, aquele companheiro ajudava-me a passar o tempo e não me deixava aborrecer.
Gosto de experimentar a sensação de não conseguir parar de ler, e ao mesmo tempo sentir pena, por o livro estar a chegar ao fim.
Normalmente lembro-me das histórias dos livros durante muito tempo, e sempre que algum pormenor do dia a dia me recorda um livro, gosto de fechar os olhos e relembrar a história, os personagens, a época, a capa, tudo. Sempre que posso, volto a reler o livro, e fico sempre admirada com a mudança de impressões transmitidas, é tão curioso constatar as alterações, que o tempo e a vida fazem, é o mesmo livro, mas por vezes tenho a sensação, que o livro me transmite o oposto da leitura anterior.
È como um amigo, daqueles de infância, dos quais só por vezes nos lembramos, e que quando os revemos, constatamos que apesar de terem mudado, continuam a transmitir-nos recordações dos dias antigos cheios de magia, onde o futuro era aquilo que nós queríamos que fosse.
Boas leituras.

1 diga lá:

Tiquinha disse...

tb eu adoro perder-me nas páginas de um bom livro; perder umas horas de sono só para ler mais um bocadinho; tb tenho a mania de fazer o livro na minha cabeça, por isso já há muito que desisti de ver filmes de livros que li....
beijocas

 
Design by Pocket