"...nem todos os dias são dias de olhar feliz. Estes dias raramente nos são oferecidos (daí o seu mistério) e quase sempre têm de ser construídos, desenhados, conquistados. Nesta procura do sentir a alma plena dos reflexos doces destes dias de olhar feliz, a vida, a nossa vida, mistura dor e alegria, sofrimento e felicidade, desilusão e sonho, amargura e paixão, choro e riso, ódio e amor. Assim, quando nessa busca constante O vento te rugir e a chuva cair em massa, quando o céu te fugir e sentires o teu amor em desgraça, quando o arco-íris te mentir e a sua recordação ficar laça, lembra-tedo brilho divino que vislumbraste nesta promessa de amor eterno….Lembra-te Que o vento, a chuva, o cinzento do céu, o arco-íris, as tuas lágrimas, as tuas duvidas, todos eles fazem parte do mistério da vida. Lembra-te Como Pessoa, que: “O mistério das cousas? Sei lá o que é o mistério. Único mistério é haver quem pense no mistério.”Aí ergue os teus olhos para o firmamento e procura devagar, em paz, o caminho de regresso ao vosso arco-íris de mãos dadas com o brilho intenso e mágico (quase irreal) da mais nova de todas as estrelas do céu..." LC21/06/97

02/02/2007

Reflexões

02/02/2007


Faz agora dois anos que a doença da minha Inca se manifestou de uma forma mais visível. A barriga dela começou a inchar desalmadamente e apesar dela continuar bem disposta, a barriga disforme impedia qualquer tentativa de ignorar que ela estava doente. Nós já sabíamos a vet. dela tinham dito em Dezembro, mas não se via e nós tentamos afastar o fantasma e acreditamos que não seria nada que não se pudesse tratar.
Mas mesmo com a evidência da barriga inchada e com uma opinião muito franca de outro vet. amigo, nada nos preparou para o facto de ela só estar connosco apenas mais 2 meses. Nunca imaginei que a partida estivesse para tão breve. Hoje quando recordo esses meses, lamento não ter estado mais tempo com ela, não ter usufruído mais, mas eu não queria acreditar…..e agora 2 anos depois, se recordo com muita frequência e nitidez o olhar doce e as suas narigadas a pedir brincadeira, a sua vigilância sempre presente a tudo o que rodeava os seus donos, também recordo com igual nitidez os seus últimos meses, os últimos dias e as ultimas horas .Marcaste a minha vida de uma forma que só um animal muito especial o pode proporcionar, mais uma vez muito obrigada querida Inca.
Tentamos tudo, mas não foi suficiente, não chegou! provavelmente em outro país tinhas sido tratada de outra forma e ainda podias estar com os teus donos, mas neste pais onde se abandonam e maltratam os velhos, onde se espera durante anos para adoptar uma criança que muitas vezes são despejadas em “casas” onde nunca saem com uma família, um país que deixa que os pais maltratem os filhos mas que são desculpabilizados porque são pais biológicos, onde ninguém sabe ou não quer saber que mais de 15% de casais são inférteis, que não tem apoio nem do estado nem da sociedade para serem pais, que são olhados como menos mulheres/homens, coitadinhos muitos têm é problemas psicológicos, que alguns até acham que não deviam votar no referendo ao aborto porque não demonstram capacidade reprodutiva, enfim um pais assim, onde a ignorância a insensibilidade e lema do “isso não é problema meu por isso que se lixe. Pois num pais assim é claro que não se trata os animais com mais empenho, nem os humanos quanto mais.
È por isso que se eu antes pedia sempre algo (que desejo desde 1999) para o novo ano, agora o que peço, é que se a vida não me der nada nesse novo ano, que não me tire, perder o que se possui é muito pior do que não se alcançar o que não têm.

3 diga lá:

soniaq disse...

Querida Inca

Deixo-te o meu abraço, quentinho e apertadinho.
Tudo de bom e vais ver que vais ter mais do que alguma vez imaginaste. beijão

viviana disse...

a inca vai sempre premaneçer nas mentes daqueles de quem muito a ama!
jokas fofas e um bom fds

kity disse...

texto muito lindo*

 
Design by Pocket