"...nem todos os dias são dias de olhar feliz. Estes dias raramente nos são oferecidos (daí o seu mistério) e quase sempre têm de ser construídos, desenhados, conquistados. Nesta procura do sentir a alma plena dos reflexos doces destes dias de olhar feliz, a vida, a nossa vida, mistura dor e alegria, sofrimento e felicidade, desilusão e sonho, amargura e paixão, choro e riso, ódio e amor. Assim, quando nessa busca constante O vento te rugir e a chuva cair em massa, quando o céu te fugir e sentires o teu amor em desgraça, quando o arco-íris te mentir e a sua recordação ficar laça, lembra-tedo brilho divino que vislumbraste nesta promessa de amor eterno….Lembra-te Que o vento, a chuva, o cinzento do céu, o arco-íris, as tuas lágrimas, as tuas duvidas, todos eles fazem parte do mistério da vida. Lembra-te Como Pessoa, que: “O mistério das cousas? Sei lá o que é o mistério. Único mistério é haver quem pense no mistério.”Aí ergue os teus olhos para o firmamento e procura devagar, em paz, o caminho de regresso ao vosso arco-íris de mãos dadas com o brilho intenso e mágico (quase irreal) da mais nova de todas as estrelas do céu..." LC21/06/97

04/02/2008

Achei muito interessante

04/02/2008


Esta noticia "Alunas da UA desenvolvem sítio sobre cidadãos com deficiência


Duas alunas da Licenciatura em Ensino Básico – 1.º Ciclo da UA desenvolveram um sítio (http://www.h_g_p.no.comunidades.net/index.php) dedicado às pessoas com deficiência e às barreiras arquitectónicas que estas têm de enfrentar no dia-a-dia, oferecendo ainda informação sobre como interagir com estes cidadãos.

O projecto foi desenvolvido por Diana Oliveira e Sílvia Vieira, no âmbito das disciplinas de História e Geografia de Portugal, do primeiro ano, e Metodologias de Ensino das Ciências Sociais, do segundo ano, cuja regente é a Dra. Teresa Soares. As autoras pretendem actualizar continuamente o sítio ao longo da Licenciatura, acrescentando novas secções, algumas delas propostas pela docente e colegas de curso.O sítio foi desenvolvido no âmbito da avaliação prática das duas cadeiras, tendo o tema sido proposto pela Dra. Teresa Soares, que pretendia chamar a atenção dos alunos para um problema «importante» da sociedade contemporânea. «Como futuros professores do 1º Ciclo, os alunos têm de ser generalistas, e saber de tudo», afirma.Notícias, vídeos, fotos e conselhos para lidar com o cidadão deficiente são algumas das secções criadas pelas alunas. «Os conteúdos surgem de pesquisas que vamos fazendo, mas há muito pouca informação na área», salienta Diana Oliveira. Em preparação estão mais textos e um fórum, já que o trabalho deu origem a alguns contactos de pessoas com deficiência.«Pensamos abrir um fórum para que haja comunicação entre todos os interessados, de forma a contar histórias, testemunhos. Para continuar o trabalho precisamos da ajuda dos outros», diz Sílvia Vieira. «Mas o objectivo foi criar um sítio que uma pessoa comum consiga ler e perceber», complementa Diana Oliveira.A Dra. Teresa Soares salienta ainda que, ao cumprir objectivos informativos e potencialmente educativos, a UA está a cumprir um dos seus desígnios, projectando trabalhos de estudantes «para fora da comunidade académica».




Perante um cidadão portador de algum tipo de deficiência, não é raro eu ficar sem saber como agir, por um lado acho que devo oferecer ajuda, mas, por outro lado não sei se vou conseguir ajudar, não sei se isto já vos aconteceu alguma vez? Por isso achei esta ideia tão interessante, e se derem lá um saltinho aposto que também vão achar giro.


Bom feriado ;O)

3 diga lá:

amora disse...

Amiga, já dei uma vista de olhos e achei muito interessante exactamente porque tinha as mesmas dificuldades que tu. Por vezes não sabemos como lidar com indivíduos portadores de deficiências apesar de querermos ajudar e esse site dá-nos dicas muito úteis.

um beijinho para ti

teresa disse...

Fico muito contente pelo trabalho que se faz nesta disciplina de Metodologias de Ensino das Ciências Sociais, no Departamento de Didáctica e Tecnologia Educativa, estar a ser projectado para outros públicos. Na verdade, os reais problemas sociais e a forma de os informar para poder agir é um objectivo educacional em que me debruço, em co-construção com os alunos. A envolvência nas problemáticas que caem sobre a vida hodierna e as metodologias de trabalhar com as mesmas, desde as mais tenras idades devem ser, no meu entender, o futuro do ensino nesta área e na vida social, sempre a exigir luta por maior qualidade num mundo imperfeito.
Solocito que co-construam também este site, enviando às alunas - que já fizeram a "cadeira", atenção! Mas as cadeiras não acabam com uma"nota"! - a vossa colaboração.
A docente e, sobretudo, cidadã, Teresa Soares

Maganita disse...

Eu também já dei uma espreitadela e também achei muito interessante e útil, já que muitas vezes queremos ajudar e não sabemos muito bem como.

Parabéns às alunas e à docente por trazerem à ribalta um problema tantas vezes negligenciado.

Beijinhos

 
Design by Pocket